Sema realiza construção do acordo de pesca do Rio Tupana, em Manaquiri

Written by Imprensa SDS

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) realizou, nesta semana, mais uma etapa da construção do acordo de pesca do Rio Tupana, localizado no município de Manaquiri (a 60 km de Manaus). O acordo regulamentará a pesca nas áreas de entorno das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Igapó-Açu e Matupiri, e faz parte das ações do Projeto Paisagens Sustentáveis da Amazônia.

A atividade foi dividida em duas etapas. A primeira, realizada entre os dias 8 e 9 de outubro, contou com coleta de dados, coordenadas dos ambientes zoneados, como lagos a serem classificados em ambientes de preservação, manutenção e comercialização. Já na segunda fase, finalizada na quinta-feira (11/10), a Sema promoveu a quarta reunião de construção do acordo.

De acordo com a assessora do Núcleo de Pesca (Nupes) da Sema, Larissa França, a construção do acordo de pesca é uma forma de ordenar o recurso pesqueiro daquela região. “Realizamos a construção visando beneficiar os usuários, os comunitários do entorno do rio, para que eles tenham uma organização social e obtenham benefícios através tanto do acordo como da pesca esportiva, já que a área possui grande potencial para o desenvolvimento desta cadeia”, explicou.

Participaram da elaboração do acordo os moradores das comunidades Santa Izabel do Rio Tupana, São Francisco e São Pedro, além dos representantes da Casa do Rio, das secretarias municipais de Meio Ambiente de Careiro Castanho e Manaquiri, Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) e Colônia dos Pescadores Z-49. A agenda contou também com o apoio dos Agentes Ambientais Voluntários (AAV) e da gestão das RDS Igapó-Açu e RDS Matupiri.

Paisagens Sustentáveis da Amazônia – O projeto é uma iniciativa financiada pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (no inglês, Global Environment Facility – GEF), coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), e é parte do Amazon Sustainable Landscapes (ASL), um programa regional voltado especificamente para a Amazônia, envolvendo Brasil, Colômbia e Peru. O Banco Mundial é a agência implementadora do programa e a Conservação Internacional (CI) a agência executora, que tem como diretriz principal a visão integrada do bioma, de modo a promover a conectividade entre os três países.

Os principais objetivos da iniciativa são aumentar as áreas de ecossistemas florestais globalmente relevantes por meio da criação de novas áreas protegidas; consolidar e melhorar a gestão de Unidades de Conservação; aumentar o financiamento para o sistema de áreas protegidas; promover a conectividade e a gestão integrada de áreas protegidas; e promover o desenvolvimento de arranjos produtivos locais e cadeias de valor derivados do uso sustentável da biodiversidade.

Estão entre as principais metas ainda a cadeia produtiva da recuperação da vegetação nativa e o setor de produção de sementes e mudas de espécies nativas; fortalecimento das políticas públicas voltados à proteção e à recuperação da vegetação nativa; e promoção da capacitação e da cooperação regional entre os países integrantes do programa.

FOTOS: DIVULGAÇÃO/SEMA