Sema e BNDES visitam cadeias produtivas em Manaus, Iranduba e Novo Airão

Written by Sema Amazonas

 Objetivo da visita é construir mecanismos de financiamento para impactar cadeias produtivas de bioeconomia e turismo no Amazonas

 

Uma comitiva composta por membros da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) realizou, entre ontem e hoje (04 e 05/05), uma série de visitas estratégicas a modelos de cadeias produtivas de bioeconomia e turismo do Amazonas, nos municípios de Manaus, Novo Airão e Iranduba.

O secretário de Estado do Meio Ambiente, Eduardo Taveira, explica a proposta das visitas.  “O objetivo da vinda da equipe do BNDES aqui, ao Amazonas, é ajudar a construir modelos de financiamento que possam impactar diretamente cadeias produtivas e trazer geração de renda para o estado”, afirmou.

De acordo com o titular da Sema, esta é uma primeira etapa de sondagem da equipe técnica e também da diretoria do Banco, para entender as oportunidades disponíveis no estado. “A escolha do Amazonas se deu pela relação que o Governo do Amazonas tem com o BNDES, do ponto de vista da construção de projetos”, disse.

“Fomos um grande executor – e ainda executamos – um programa do Fundo Amazônia. Então todo esse compromisso e expertise ajudou a trazer o Banco para cá”, acrescentou Taveira ao referir-se ao ProjeCAR – Projeto de Implementação do Cadastro Ambiental Rural (CAR), que tem apoiado a ampliação de inscrições, análises e retificações em 36 municípios do interior.

A agenda com o BNDES iniciou na segunda-feira (02/05), com uma reunião na sede da Sema, envolvendo secretários e representantes de agências do Governo do Amazonas. O encontro se estendeu a uma visita ao Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA).

Turismo de base comunitária – Na quarta-feira (04/05), o grupo iniciou as visitas in loco. O primeiro destino foi a Vila do Acajatuba, a Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Rio Negro, em Iranduba (distante 27 quilômetros de Manaus).

A Vila tem como principal fonte de renda o turismo de base comunitária, oferecendo aos visitantes a possibilidade de conhecer pousadas, central de artesanato, orquidário, berçário de quelônios e várias outras atividades.

Vivência na floresta – Nesta quinta-feira (05/05), a comitiva seguiu para Novo Airão, um dos principais destinos turísticos de vivência na floresta, no estado. No local, a comitiva conversou com empresários do turismo e visitou outros modelos de base comunitária.

A equipe também esteve na Fundação Almerinda Malaquias, acompanhando projetos financiados pelo Fundo Amazônia.

A ideia é que, a partir destas visitas, o Governo do Amazonas e o BNDES possam encontrar mecanismos de financiamento rápidos e robustos para gerar emprego e renda, aliados à conservação ambiental.

FOTOS: Divulgação/Sema